Município de Felipe Guerra apresenta menor Índice de Infestação Predial para Dengue, Zika e Chikungunya em levantamento realizado pela II Ursap - Folha Potiguar - Notícias e opinião - RN

Últimas Notícias

Post Top Ad

Responsive Ads Here

Post Top Ad

Responsive Ads Here

segunda-feira

Município de Felipe Guerra apresenta menor Índice de Infestação Predial para Dengue, Zika e Chikungunya em levantamento realizado pela II Ursap

A Segunda Unidade Regional de Saúde Pública (II Ursap) do Rio Grande do Norte divulgou, na última sexta-feira (11), o resultado do 1° LIRA/LIA de 2022. No levantamento, realizado há pouco mais de duas semanas, o Município de Felipe Guerra apresentou o menor Índice de Infestação Predial IIP (0,4) para Dengue, Zika Chikungunya.

O resultado é fruto das constantes ações de prevenção e combate às arboviroses realizadas pelo Governo Municipal por meio da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), em especial o incansável trabalho realizado pela equipe de Agentes de Endemias coordenada pelo Agente Filho Medeiros.


A prevenção é a principal forma de combater o Aedes aegypti. Por isso, a SMS recomenda à população manter os quintais sempre limpos e recolher objetos que possam acumular água, como pneus velhos, latas, recipientes plásticos, tampas de garrafas, copos descartáveis e até cascas de ovos.

O Índice


O Índice de Infestação Predial – IIP por Aedes aegypti, é o indicador que mede o risco de adoecimento da população pelas doenças Dengue, Chikungunya e Zika, transmitidas pelo mosquito, e é produzido através da análise das larvas de mosquitos coletadas nos imóveis, pelos agentes de endemias.


O Programa Nacional de Controle da Dengue – PNCD/MS preconiza dois tipos de levantamento de índice: o Levantamento de Índice Rápido para Aedes aegypti (LIRAa), realizados em municípios com 2.000 ou mais imóveis na área urbana; e o Levantamento de Índice Amostral (LIA), realizados em municípios com número inferior a 2.000 imóveis na área urbana.


O LIRAa e o LIA devem ser executados no mesmo período em todos os municípios para que se possa conhecer o risco em todo o território estadual, ambos devem ser realizados no período de uma semana.


Trata-se, fundamentalmente, de um método de amostragem que tem como objetivo principal a obtenção de indicadores entomológicos, como por exemplo, o IIP.

Nenhum comentário:

Postar um comentário