Header Ads Widget

Prefeito Salomão quebra o silêncio e reage ao fogo amigo; "nem tudo é romantismo"


Quem vive os bastidores da política de Felipe Guerra sabe o quão o prefeito Salomão Gomes é um homem de paz que superestima a boa fé das pessoas. Mas durante sua fala na sessão solene realizada na noite de ontem pela Câmara Municipal para homenagear os profissionais da saúde que atuaram e/ou que atuam no enfrentamento à pandemia no município, o vimos quebrar o silêncio e reagir ao fogo amigo do qual tem sido vítima. 

"Eu gostaria aqui também de compartilhar com vocês, porque nem tudo é romantismo, eu tenho suportado muita coisa em silêncio, mas vou deixar esse silêncio de lado, porque não vou mais deixar, como diz a poesia, que arranquem mais flores do nosso jardim", disse o prefeito Salomão, em determinado momento da sua fala na solenidade, ampliando ainda mais a atenção de todos, ao iniciar aquilo que ele mesmo chamou de desabafo. 

Assista ao vídeo a seguir, o qual seguiremos comentando.


Quem acompanha a cena política de Felipe Guerra sabe bem que este desabafo do prefeito Salomão foi uma reação ao jogo sujo do qual o mesmo tem sido vítima, orquestrado e conduzido pelo casal que deixou o comando do município recentemente e que se mostra obcecado pela retomada de tal maneira que não consegue respeitar o momento que o povo confiou ao prefeito Salomão. 

Razão o ambicioso casal não tem, pois ao assumir a prefeitura em 1º de janeiro de 2021, o prefeito Salomão dividiu quase meio a meio o novo governo com o seu antecessor, garantindo ao seu partido político 4 das 10 pastas, além de manter em sua equipe mais da metade dos ocupantes de cargos de confiança da gestão anterior. Aliás só não manteve mais porque as condições financeiras do Município não permitiram. 

E quando o prefeito Salomão diz ter suportado muita coisa em silêncio, é muita coisa mesmo, muito mais do que aqueles que não vivem os bastidores da política de Felipe Guerra podem imaginar. O episódio de ontem, quando voltaram a fazer politicagem com a saudosa memória do conterrâneo Nelson da Santana, foi só mais um. 

Tudo começou ainda durante a pré-campanha de 2020, quando o seu antecessor se amuava de 2 a 3 vezes por semana, falava em não apoiar Salomão para a sua sucessão e só não levou sua intenção adiante por dois motivos: já estava queimado de tanto jogar sujo com todo mundo em sua volta; e por não encontrar nome mais competitivo do que o então vice-prefeito Salomão, que liderava com folga as pesquisas. 

Seu antecessor manteve-se amuado até meados da campanha eleitoral. Acompanhava as manifestações pelos arrabaldes, se fazendo de excluído, quando na verdade quem acompanhava os bastidores sabia que ele e a esposa não queriam ajudar na campanha de Salomão. Como não ajudou com nada além dos discursos forçados pelas circunstâncias os quais passou a fazer do meio para o fim da campanha. Quando caiu de fato em campo, foi para bagunçar a campanha para vereador, quem viveu o momento sabe como. 

Iniciado o novo governo em 1º de janeiro, enquanto o prefeito Salomão buscou unir e amparar o grupo, cedo o seu antecessor e sua esposa começaram a tentar dividir. Desde janeiro, nos quatro cantos da cidade se tem notícias do casal falando mal do prefeito Salomão, da sua equipe, da sua gestão, tentando usar pessoas que por falta de condições financeiras do município ainda não foi possível encaixá-las no novo governo e etc. Enquanto isso, desafia-se a galera do contra a mostrar que o prefeito Salomão tem feito outra coisa além de bem administrar Felipe Guerra e de tratar a todos com absoluto respeito.

E o mais intrigante nessa história toda, é vermos farsantes apostando todas as suas fichas na ilusão de que irão enganar o povo de Felipe Guerra mais uma vez depois de tudo que já fizeram. 

O povo não é bobo. 

Apenas uma extrema minoria se permite ser usada. 

Vida que segue.

Postar um comentário

0 Comentários